Blog do Paulo Sampaio

Histórico

Jovens socialites comemoram o Dia da Árvore com ioga em praça nobre de SP

Paulo Sampaio

22/09/2017 08h00

“Vamos elevar os braços e saudar a mãe Natureza”, diz a professora Natalia Solon (Foto: Paulo Sampaio/UOL)

Um grupo de 12 moças bem nascidas, bem magras, bem maquiadas e com agenda disponível em uma quinta-feira às 10h da manhã se reuniu ontem na praça San Martin, no nobre Jardim América, zona oeste de São Paulo, para fazer ioga em homenagem ao Dia da Árvore. A ideia, segundo a empresária Carol Santis, dona do studio que promoveu o evento, era “proporcionar um momento gostoso”.  “Eu e meu marido éramos do mundo corporativo e largamos tudo para fazer um sabático. Demos a volta ao mundo e, quando estávamos em Bali, decidimos abrir um espaço para oferecer paz para as pessoas.” O nome do espaço é Jiwa, ou  “almas” em balinês.

As alegres participantes chegam animadíssimas, prontas para a aula. O tema é “consciência com a natureza”: “Nossa, amiga, adorei os óculos!””É Livo, amiga, compra!””Amei essa legging.” “Linda né, miga?” Entre outras, frequentaram o evento Fernanda Perlaky (a da legging linda) Stephanie Kopenhagen e Gabriela Krope. Stella Jacintho coloca sua bolsa vermelha matelassada Lanvin em cima de um banco da praça e diz que ainda vai malhar três vezes até o fim do dia. Além da aula do Dia da Árvore, ela fará o treino normal, de todos os dias, e “pilates com eletrodo”. “Amiga fitness!”, diz Gi Saback.

Fernanda Perlaky e Patrícia Birman (Foto: Paulo Sampaio/UOL)

Cada convidada recebeu uma sacola da grife Memo, que também convidava para o evento, com uma camiseta. “Ai amiga, tô na dúvida se eu pego preta, por causa do calor.””Pega off white, amiga! Com esse corpo, você pode!” A dona da grife, Patrícia Birman, explica que Memo quer dizer “meu momento em movimento”. “A gente faz uma roupa fashion fitness”, diz ela. “At leisure”.

Em uma mesinha instalada à sombra da maior árvore da praça, uma terceira marca, a Urban Remedy  (de “alimentação consciente e responsável”), oferece shots à base de frutas, verduras, raízes e sementes. Os sabores mais apreciados são Coco Chianel (água de coco, clorofila, semente de chia e fava de baunilha) e o After Party (beterraba, cenoura, maçã, gengibre e limão).

“Nossa amiga!! Tá bem, hein?, escolhendo o mais gordinho…”, diz Fernanda Perlaky a Stephanie Kopenhagen, que pegou o shot de açaí, abacaxi, mirtilo, framboesa e couve.

Crackers “conscientes” para depois da aula (Foto: Paulo Sampaio/UOL)

Ali perto, a editora do “site da Lelê”, Mai Dornelles, faz registros com sua câmara. Lelê? “É”, diz Mai “Sabe, a Lelê Sadi?”

A produção estendeu na grama da praça 28 tapetinhos ultrafinos de borracha (mat), nas cores lilás e branco, com toalhinhas enroladas e um frasquinho de óleo essencial de Bali. “Em condições normais, o mat de uma aluna é só dela.  É no tapetinho que fica a energia, o suor, a essência da pessoa!”, explica Carol Santis.

A aula começa por volta das 10h, meia hora depois do marcado, mas ninguém reclama. Aparentemente, as alunas estão com tempo. A professora Natalia Solon as orienta a conectar a natureza externa com a interna, “que é o divino”.  Pelo menos três alunas mantém os óculos de sol durante a prática. “Tem dia que a gente está meio aérea, precisando de sustentação. Pense em uma palavra, ou uma frase, e repita três vezes, como se fosse teu mantra…”, orienta Natalia.

Uma pomba vira-lata sobrevoa o grupo na hora em que Patrícia Birman chega, faltando aproximadamente 10 minutos para o fim da aula. Ela comenta: “Nossa uma pomba branca, gente! É paz!”

E a professora: “Eleva os braços e saúda a terra! Obrigado pela energia de vocês!”

Todos: palmas.

Sem pressa, as jovens socialites se levantam, calçam seus tênis de corrida e checam os celulares. A fotógrafa do evento pede que elas se enfileirem para o registro do momento. Pedem que elas posem embaixo de uma árvore.  “Vamos fazer bumerangue, gente!”, grita uma. “Bumerangue é a coisa mais engraçada da vidaaaa!”  De lado, todas levantam e abaixam o joelho da perna esquerda, sincronicamente, e a fotógrafa aciona a ferramenta que faz o movimento se repetir infinitamente.

Muito leves, elas começam a se despedir por volta das 11h. Stephanie Kopenhagen comenta um pouco angustiada que às 14h precisa estar no Laces (salão de cabeleireiro).

Pose para registro depois da aula (Foto: Paulo Sampaio/UOL)

Sobre o autor

Nascido no Rio de Janeiro em 1963, Paulo Sampaio mudou-se para São Paulo aos 23 anos, trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo e Estado de S. Paulo, nas revistas Elle, Veja, J.P e Poder. Durante os 15 anos em que trabalhou na Folha, tornou-se especialista em cobertura social, com a publicação de matérias de comportamento e entrevistas com artistas, políticos, celebridades, atletas e madames.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Blog do Paulo Sampaio
Topo