Topo
Blog do Paulo Sampaio

Blog do Paulo Sampaio

Histórico

65% dos gays no Brasil presenciaram homofobia no trabalho, diz pesquisa

Paulo Sampaio

30/11/2017 09h00

O preconceito no ambiente de trabalho ainda é um obstáculo para o crescimento da população gay no Brasil (Foto: Getty Images)

Uma pesquisa de mercado realizada com 4 mil homossexuais no Brasil revelou que 65 % deles testemunharam episódios de homofobia no trabalho; 50% já sofreram assédio verbal, 19% foram importunados por vizinhos e 8% passaram por violência física.

O levantamento foi feito pela empresa de consultoria norte-americana OutNow, especializada no seguimento LGBT, e teve o apoio do aplicativo de relacionamentos Hornet.  Com o título de "Brazil 2017 Report — Out Now Global LGBT2030 Study", a pesquisa foi feita em junho e julho de 2017 e é a primeira de um estudo global que será concluído no ano que vem.

De acordo com cálculos da consultoria, o Brasil abriga uma das maiores e mais dinâmicas comunidades LGBT do mundo. Ainda assim, segundo os pesquisadores, apenas 6% dos mais de 200 milhões de habitantes do país — ou cerca de 9,5 milhões de pessoas –, se declaram lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneros.

Embora muitas pessoas com dificuldade de se assumir tenham se sentido seguras para responder à pesquisa anonimamente, os realizadores do estudo afirmam que seus dados "não devem ser tomados como representativos de  um censo de qualquer mercado LGBT".  Os técnicos explicam que o Brasil é um país grande, de características sócio-economicas bastante diversas, e que a própria comunidade comunidade LGBT (em qualquer lugar do mundo) se caracteriza pela diversidade. Por isso,  o CEO da empresa, Ian Johnson, alerta para o fato de que "a média mascara a diversidade".

A maioria dos entrevistados eram homens com idades entre 25 e 34 anos; 67% se descreveram como gays; 18%, como homossexuais e 13% disseram ser bissexuais; 29% têm o curso superior incompleto, 25% concluíram e 20% fizeram pós graduação; 58 % estão empregados e trabalham em regime integral; 34% ganham entre R$ 1.000 e R$ 2.500, e apenas 2% ganham mais de R$ 10 mil; 36% dos entrevistados disseram ser assumidos no trabalho.

Apesar de 78% estarem solteiros, 76% afirmam que pretendem ter uma união civil ou estar casados no futuro; 62% dizem querer ser pais.

Consumo médio

Os entrevistados consomem a cada três meses uma média de R$ 418 com roupas (desse total, R$ 76,50 só com as íntimas de grife); R$ 274 com perfumaria e artigos de higiene; R$ 131, em média, com o cabelo; R$ 157 com tratamentos de beleza, incluindo procedimentos faciais. Sapatos: R$ 242.

Por mês, com comida, a média de gastos é R$ 708; e ainda R$ 81 com vinhos e R$ 66 com destilados.

Em um ano, a média de gastos com viagens é R$ 3690. A trabalho, R$ 1104. 44% têm passaporte válido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Nascido no Rio de Janeiro em 1963, Paulo Sampaio mudou-se para São Paulo aos 23 anos, trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo e Estado de S. Paulo, nas revistas Elle, Veja, J.P e Poder. Durante os 15 anos em que trabalhou na Folha, tornou-se especialista em cobertura social, com a publicação de matérias de comportamento e entrevistas com artistas, políticos, celebridades, atletas e madames.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Paulo Sampaio